Impermeabilização de laje exposta

A impermeabilização de laje exposta consiste numa sistemática que tem como finalidade a aplicação de produtos específicos para proteger as áreas estruturais de uma edificação contra a umidade e infiltração de águas que podem ser pluviais ou vir através do solo. O concreto por si só não é capaz de garantir que a estrutura não sofra infiltrações e, tanto a água da chuva quanto a água do lençol freático podem se infiltrar no concreto e comprometer a edificação.

Quando a água infiltra em estruturas de concreto armado, a armadura, a alvenaria e os revestimentos são prejudicados, ficando expostos à ferrugem, fungos e mofo, diminuindo a vida útil da edificação, podendo até comprometer todo o empreendimento. Por isso é importante que a impermeabilização seja feita nas construções, independente do tamanho ou do padrão da edificação.

É de vital importância que a impermeabilização possua um projeto específico, com detalhes dos produtos e as técnicas para aplicação destes produtos.

Lajes expostas são lajes que ficam em contato direto com o ambiente, como terraços, coberturas e sacadas e para saber qual é a impermeabilização mais adequada é necessário entender quais são as particularidades de cada tipo de laje. Para o caso específico de laje exposta, um serviço de impermeabilização mal executado pode gerar graves problemas estruturais e estéticos, além de comprometer sistemas elétricos. Como fica exposta à sol e a chuva, a laje necessita de atenção especial, tanto durante sua construção quanto após ser construída, portanto é fundamental a escolha acertada dos produtos para impermeabilização de lajes expostas, além de garantir uma temperatura ambiente mais confortável. Acompanhe algumas dicas referente à impermeabilização de lajes expostas:

1º) Quando a laje deve ser impermeabilizada

A laje deve ser impermeabilizada durante sua construção. Porém, como recebe diretamente a água precipitada pelas chuvas, periodicamente existem as necessidades de novas impermeabilizações, mas é claro que em caso de princípios de irregularidades, o processo deve ser feito de imediato.

2º) Qual impermeabilização usar?

As impermeabilizações podem ser flexíveis ou rígidas. Para saber qual é o melhor a ser utilizada para determinada laje exposta deve-se saber um conceito técnico referente a movimentação térmica que é o comportamento dos materiais perante a variação da temperatura, contração e dilatação. A NBR 6118/2014 estípula que são aceitas aberturas de até 3mm em estruturas de concreto, uma vez que a movimentação térmica pode causar fissuras e nesse caso é necessário que o sistema de impermeabilização seja do tipo flexível para que seja possível acompanhar as movimentações térmicas da estrutura, sem que sejam criadas fissuras.

3º) Como a impermeabilização da laje deve ser executada

Os materiais utilizados na impermeabilização de lajes expostas devem ser de alta resistência, como o poliéster flexível, por exemplo, pois oferecem maior durabilidade que materiais rígidos ou flexíveis.

As características principais que são determinantes para a escolha do revestimento impermeabilizante devem compor em sua base aditivos que além de proteger a estrutura, também seja resistente para suportar a movimentação de pessoas e ocupação do espaço. Uma boa opção hoje disponível no mercado é o Imperplus 7K, que possuí como característica principal a de ser um adesivo acrílico para chapisco e argamassa que tem função principal vedar possíveis passagens de água e contribuir com o acabamento sem perder flexibilidade. No entanto, mesmo que elásticos e resistentes, os revestimentos flexíveis, assim como os rígidos, também são desgastados ao longo do tempo e por isso sua substituição a longo prazo é inevitável.

Rodrigo Melo, Érico
Aditive