Impermeabilização de laje

A impermeabilização de laje tem como finalidade proteger a superfície contra a infiltração de águas pluviais. Essa proteção evita desplacamento de pisos, contaminação da armadura da laje e consecutivamente a sua corrosão e surgimento de mofos, mantendo o elemento estrutural da edificação “saudável” e garantindo conforto e segurança aos seus usuários.

Tipos de impermeabilização

Para cada tipo de estrutura existem procedimentos e métodos próprios para impermeabilização, com produtos diferentes, assim como sua aplicação.

De modo geral, existem basicamente dois tipos de impermeabilizações: A impermeabilização rígida e a impermeabilização flexível.

A impermeabilização rígida é recomendada para ser utilizada em lugares que não existem grandes movimentações de cargas, como fundações, reservatórios, muros e jardineiras, por exemplo.

A impermeabilização flexível é recomendada para locais em que a estrutura receba maior variedade de cargas, podendo se movimentar naturalmente, sem comprometer nem desgastar os materiais aplicados e esse é o tipo de impermeabilização que se aplica em lajes que podem ser maciças, nervuradas, pré moldadas ou mistas, sendo muito utilizado em varandas, pisos de pavimentos e terraços.

Os produtos mais utilizados para impermeabilização flexível são:

Membranas moldadas in loco: Embora existam muitos tipos de membranas, as mais utilizadas são as de emulsão asfáltica, emulsão acrílica, solução asfáltica, asfaltos modificados, asfaltos oxidados e Neoprene.

Mantas pré-fabricadas: As mais comuns são a manta elastomérica, manta polimérica e manta asfáltica. As mantas asfálticas e poliméricas possuem maior demanda de procura no mercado, pois além de serem de fácil aplicação também são mais baratas em comparação com outras mantas.

Hoje no mercado, existe uma alta demanda por procura do “Imper 5K”, que é muito utilizado para superfícies de concreto.

Passo a passo para impermeabilização de lajes

Assim como em todo sistema construtivo, nos sistemas de impermeabilizações também se faz necessário um projeto bem elaborado por um engenheiro capacitado para este tipo de trabalho. Os métodos de execução são os mais variados. Abaixo segue um passo a passo para o método de impermeabilização por cristalização, lembrando que esses processos devem ser feitos por empresas e/ou profissionais qualificados:

Passo 1: Toda superfície que irá receber a impermeabilização deve estar limpa e seca. Se necessário, toda área a ser impermeabilizada deve ser lixada para remover cascas, mofos ou outras impurezas;

Passo 2: Caso haja buracos e trincas, estes devem ser tapados;

Passo 3: As tubulações existentes devem ser chumbadas com Graute que é um tipo de concreto especial utilizado para preenchimento de espaços vazios dos blocos e canaletas;

Passo 4: Aplicar a primeira demão do produto para impermeabilização flexível e deixar secar naturalmente;

Passo 5: Depois de um intervalo de 4 horas da aplicação da primeira demão, aplicar a segunda demão do produto para impermeabilização flexível e deixar secar naturalmente. Fazer o mesmo processo para as demais demãos.

Passo 6: Deve-se calafetar aos redores de ralos com resinas após a aplicação e secagem completa do impermeabilizante.

Passo 7: Verificar se após 5 dias da aplicação do produto houve a estanqueidade total da superfície. Este teste é feito tampando os ralos e sistemas de drenagem e enchendo a superfície com água. Caso seja encontrada alguma infiltração, o processo de impermeabilização deve ser repetido nessa área.

Rodrigo Melo, Érico
Aditive